Vivam grandes optimistas!

Começo assim porque sei que, paradoxalmente, este é o momento em que todos nós nos tornámos um pouco optimistas, pelo menos, pela força das circunstâncias. Embora o nosso cérebro emocional procure manter-se num registo pessimista, desesperançado e vitimizante, a parte racional acorda-nos  para aquilo que a nossa intuição aconselha, e as investigações também confirmam: quando escolhes pensamentos optimistas as tuas capacidades cognitivas são inteiramente mobilizadas (concentração, memória, raciocínio, criatividade, etc) e assim  aumenta muito significativamente a tua capacidade para resolver os desafios que enfrentas na tua vida. Consequentemente, adoptar uma postura pessimista (uma opção), é um acto auto-sabotagem do teu sucesso e da vida pessoal e relacional, plena e feliz. Se temos esta possibilidade de escolha da versão positiva e a capacidade para fazer uso dela a cada momento, como está cientificamente comprovado, então vamos utiliza-la. Certo, sabermos que é difícil mantermo-nos positivos nestes tempos, mas é uma decisão nossa: optar pela posição de vítima que não reage e espera apenas pelos movimentos dos outros, para sobreviver ou crescer; ou optar por uma atitude “guerreira”, activa, energética, que permite encontrar soluções para os nossos problemas, ajudarmo-nos a nós próprios e ajudar  os outros. Este último nível de energia, em que até temos a capacidade de ajudar os outros, conduz-nos à velocidade de cruzeiro na direcção dos nossos objectivos. e curiosamente cada passo energético gera um efeito de contágio nos outros e de amplificação da nossa motivação. Ficamos cada vez mais inspirados e os outros começam a inspirar-se em nós e a ver-nos como modelos a seguir. E curiosamente somos percebidos como mais atraentes aos olhos dos outros. Ser positivo, energético e confiante é visto, inconscientemente, como indicador de bons genes para procriar (o sexo oposto adora), e no trabalho nem é preciso lembrar como são avaliadas e onde chegam as pessoas com estas características. Estudos demonstram cabalmente que os vendedores mais optimistas vendem mais 88% do que os mais pessimistas e as pessoas mais optimistas ocupam os lugares mais altos na hierarquia. Vale mesmo a pena ser cada vez mais positivo, não é?

Mas todos sabemos como é difícil quebrar padrões de pensamento e de comportamento (somos animais de hábitos). É por isso que andamos todos à procura das estratégias que, em conjunto, nos permitam quebrar esses padrões, libertar-nos, e começar finalmente o caminho acelerado na direcção dos nossos sonhos. A quantidade de energia mental que é necessária para quebrar rotinas mentais antigas é tão grande que a maioria das pessoas nunca chega a quebra-las na sua vida inteira. Mas a boa notícia da má notícia da crise é que esta faz o nosso cérebro produzir a energia de arranque necessária para iniciar o processo da tão desejada mudança. Depois basta juntar as técnicas certas, na combinação certa e nos timings ideais.

Neste processo, o ponto de partida é a consciência de que temos o poder de mudar o modo como nos sentimos, e que esse poder é pessoal e bem real. Exige determinação e persistência mantendo o foco nos resultados finais que desejas (manter a energia e o tom emocional altos), como se já fosse uma realidade. As expectativas fazem toda a diferença no que diz respeito a alcançar objectivos.

O inconsciente não distingue a diferença entre a imaginação e a realidade, utilizando as imagens, que criamos como antecipação do sucesso, para guiar todos os sistemas mentais que nos ajudam a chegar onde queremos, como o sistema de activação reticular e a intuição.

O sistema de activação reticular (SAR) é como um filtro da informação que provém da realidade que observamos e experimentamos, seleccionando aquilo a que é mais importante dar atenção para que consigamos gerir milhões de bits de informação que nos chegam do ambiente a cada segundo.

Se temos por exemplo como objectivo comprar um carro de determinada marca o SAR baeia-se nas memórias mais frequentes nos últimos tempos (verbal e emocional) e dá atenção a tudo o que tem a ver com esse tema, fazendo-nos crer que há mais carros dessa marca nesse momento nas estradas, podendo mesmo a levar-nos a detectar oportunidades que possam surgir ligadas a esse objectivo pessoal.

Assim, produzir na nossa mente imagens daquilo que queremos conseguir (como por exemplo ser mais optimista), sentindo-o na imaginação como já fosse uma realidade, deixa em memória imagens que vão ser pistas para detectarmos no dia a dia as situações que confirmam as vantagens de ser positivo.

A cada dia que passa, o esforço de foco no positivo é cada vez menor, e o tom emocional positivo passa a ser uma constante na nossa vida, com todas as vantagens que isso traz. As investigações mostram com muita clareza que a atitude optimista tem variadíssimas vantagens para além de um funcionamento cognitivo melhorado: os optimistas têm uma maior longevidade, vivendo entre 7 a 10 anos mais do que os pessimistas, têm um sistema imunitário mais eficaz, adoecendo menos e recuperando mais rápido quando eventualmente adoecem, aprendem melhor, têm uma melhor auto-estima e auto-confiança, têm relações pessoais mais gratificantes, são mais populares e têm maiores redes sociais.

Por todas estas e outras razões escolher praticar uma visão optimista é o único caminho possível se queremos triunfar. Falamos sempre de um optimismo realista e pró-activo, bem longe dos sonhadores que esperam o melhor mas nada fazem por isso. Optimismo e acção massiva permitiu que a humanidade

Manuel de Oliveira